Rede social

Estudos sobre dispositivos explosivos improvisados confeccionados a partir de peças metálicas do tipo “METALON”

ESTUDO SOBRE DISPOSITIVOS EXPLOSIVOS IMPROVISADOS CONFECCIONADOS A PARTIR DE PEÇAS METÁLICAS DO TIPO “METALON”

Luciano Bueno, é Subtenente PM, lotado no Comandos e Operações Especiais do 4º Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

RESUMO

 

O presente estudo tem por finalidade sugerir o compartilhamento de conhecimentos específicos entre as unidades antibomba para operações envolvendo Dispositivos Explosivos Improvisados (IED) confeccionados a partir de peças metálicas e materiais explosivos, tais artefatos têm sido amplamente utilizados em ações criminosas denominadas “novo cangaço” e domínio de cidades. Diante disso, a proposta é apresentar uma breve evolução dos IED encontrados nos cenários atuais onde essas bombas improvisadas passaram a serem utilizadas como ferramentas de aberturas em estruturas e em ações contra pessoas.

Palavras-chave: Bomba de Metalon; Dispositivos Explosivos Improvisados; IED; Novo Cangaço; Domínio de Cidades.

INTRODUÇÃO

 

A crescente onda de furtos e roubos a instituições financeiras, caixas de autoatendimento, carros fortes e empresa de valores, tem mobilizado as forças policiais de todo país, sendo o uso de Dispositivos Explosivos Improvisados (acrônimo IED, do inglês Improvised Explosive Device) um dos meios utilizados nessas ações.

Dessa forma, as intervenções executadas pelas equipes Anti Bombas acontecem em virtude da grande quantidade de explosivos que são desviados, furtados, extraviados e roubados durante o transporte até as mineradoras ou construtoras. Vários mecanismos de redução desses delitos estão sendo executados pelos órgãos de fiscalização e controle, como também pelas empresas fabricantes, porém ainda enfrentamos um elevado índice de ocorrências dessa natureza.

De acordo com Thurman (2017), explosivos são substâncias ou misturas capazes de sofrer reações químicas produzindo produtos gasosos, grandes quantidades de calor e energia.

A instrução provisória PM1 (IP1-PM) da Polícia Militar do Estado de São Paulo, define Bomba como: “Art 15 – Bombas são todos os dispositivos ou artefatos confeccionados para causar danos, lesões ou mortes, de forma voluntária ou não”. Noutro giro, apresenta as definições das siglas IED e EOD:

EOD – EXPLOSIVE ORDINANCE DISPOSAL (Explosivos Industrializados e Comercializados).

  1. São todas as bombas confeccionadas regularmente, como foguetes, mísseis, granadas, petardos e acessórios de acionamento
  2. Sabe-se como são feitas, quais suas características e como proceder sua utilização, desativação ou destruição.

IED – IMPROVISED EXPLOSIVE DEVICE (Artefatos Explosivos Improvisados).

  1. São todas as bombas caseiras ou improvisadas, com fins terroristas ou não.
  2. Somente a pessoa que a construiu sabe como ela é feita, como funciona e como pode ser desativada ou destruída com segurança.

 

 

Este trabalho mostra de que forma tubos metálicos ocos são utilizados nas construções de IED. Por vezes, os esquadrões de bomba são empregados nessas ocorrências onde são encontrados, abandonados ou instalados, uma quantidade cada vez maior de IED com mecanismos distintos de montagem e acionamento. Cabe então a esses especialistas a decisão de remoção, desativação ou destruição desses materiais.

OBJETIVOS

 

Esse manuscrito tem como objetivo compartilhar informações técnicas para unidades antibomba sobre o emprego de IED no Brasil em ações criminosas e confeccionadas com peças metálicas e materiais explosivos.

DESENVOLVIMENTO

 

Pipe bomb

 

Conhecidas a décadas por especialistas em desativação de artefatos explosivos, essas Pipe Bombs (Bombas de Tudo, conforme tradução do inglês) são facilmente construídas de forma artesanal, empregando geralmente tubos metálicos como recipientes para acondicionamento da carga explosiva ou o próprio IED (Figura 1) (THURMAN, 2017).

Figura 1. Tipos de Pipe Bombs empregadas em ações criminosas e terroristas

Fonte: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Trip-wire_pipe_bomb.jpg (acesso em: 27 jun 2022)

Assim, tubos confeccionados em aço conterão a pressão interna da explosão da carga principal em seu interior por um período mais longo. Como consequência, quando a pressão interna atingir uma intensidade capaz de fragmentar o recipiente, a explosão resultante será mais rápida e enérgica, liberando fragmentos do metal em diversos tamanhos e causando danos nas áreas adjacentes.

Tubos do tipo metalon

 

O metalon é um tubo de aço utilizado nos setores da construção civil e industrial em virtude de sua durabilidade e resistência. Esse material vem sendo amplamente empregado em projetos que necessitem de uma estrutura robusta, sendo comercializado em diferentes tamanhos, bem como nos formatos circular, quadrados e retangulares (Figura 2).

Figura 2. Formatos de tubos metalon disponíveis comercialmente

Fonte: https://www.aparecidatubos.com.br/blog/tubo-metalon/ (acesso em: 27 jun 2022)

Por se tratar de um tubo metálico oco, o metalon tem sido utilizado na confecção de IEDs de forma semelhante às Pipe Bombs. Desse modo, a carga explosiva é acondicionada em seu interior e suas extremidades são vedadas com soldas ou colas do tipo epóxi. O uso desse tipo de artefato explosivo, comumente denominado bomba de metalon, vem sendo cada vez mais comum no Brasil em roubos a instituições bancárias e empresas de valores.

Uso de bombas de metalon em ações criminosas

 

A seguir serão descritas algumas ocorrências atendidas pelo Esquadrão de Bombas de São Paulo, Paraná e Santa Catarina, em que IED confeccionados a partir de peças metálicas foram empregados.

Ocorrência (Atibaia, 19 dez 2018)

 

A Equipe de Bomba deslocou-se até o município de Atibaia, em apoio aos policiais militares do 34º BPM/I, em atendimento de ocorrência envolvendo a localização de (IED) em via pública e dentro das agências bancárias do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Fontes: arquivos perícia – Gate/SP

Tipos de artefatos: Diversos IED, construídos a partir de tubos metálicos, de formatos retangulares, e medidas diversas, contendo em seus interiores, carga Explosiva a base de Alto Explosivo (Emulsão Explosiva), com uma de suas extremidades vedadas com massa epóxi “Durepox” e fixada com 02 (dois) parafusos apertados com “porca tipo borboleta”, sendo que em uma das extremidades foram inseridos Cordel Detonante.

Ocorrência (Ourinhos/SP, 02 mai 2020)

 

A Equipe de Bomba deslocou-se até o município de Ourinhos/SP, em apoio aos policiais militares do 31º BPM/I, em atendimento de ocorrência envolvendo alocalização de IED em via pública e base da polícia militar.

Fontes: arquivos perícia – Gate/SP

Tipos de artefatos: Diversos IED, construídos individualmente com tubos metálicos, nos diversos formatos, e medidas diversas, com carga Explosiva a base de Alto Explosivo (Emulsão Explosiva), segmentos de Cordel Detonante, de cor azul, expostos numa das extremidades e fixados através de massa tipo“epoxi”,

sendo 02 (dois) deles conectados a dispositivos de iniciação/acionamento remoto (telefone celular), composto por um Detonador/Espoleta padrão nº 08 conectado em um segmento de Estopim de Segurança, que seria acionado por um fósforo elétrico (“Squib”) por meio da energia gerada pelo aparelho celular e um circuito eletrônico com capacidade para potencializar a corrente elétrica emitida pelo aparelho.

Ocorrência (Botucatu/SP 30 jul 2020)

 

A Equipe de Bomba deslocou-se até o município de Botucatu/SP, em apoio aospoliciais militares do 12º BPM/I, em atendimento de ocorrência envolvendo a localização de IED no interior de agencia bancaria e vias públicas.

Fontes: arquivos perícia – Gate/SP

Tipos de artefatos: Os Artefatos encontrados na via pública, foram construídos de maneira semelhante, empregando-se tubos metálico, no formato retangular, contendo em seu interior uma carga Explosiva a base de Alto Explosivo (Emulsão Explosiva), com uma das extremidades vedada com placa metálica através de solda e a outra extremidade contendo 02 (dois) parafusos roscados para fixação de uma chapa/tampa metálica fixada através de 02 (duas) “porcas tipo borboleta”, contendo um orifício central por onde foi inserido na massa explosiva, 01 (um) segmento de Cordel Detonante, de cor laranja, sem inscrições de marca ou fabricante aparentes, com dispositivo de iniciação/acionamento composto por 01 (um) Detonador/Espoleta Padrão nº 08 conectado em segmento de Estopim de Segurança, fixado ao segmento de Cordel Detonante através de fita adesiva.

Ocorrência (Araraquara/SP, 30 jul 2020)

 

A Equipe de Bomba deslocou-se até o município de Araraquara/SP, em apoio aos policiais militares do 13º BPM/I, em atendimento de ocorrência envolvendo a localização de Artefatos Explosivos Improvisados no interior de agencia bancaria e vias públicas.

Fontes: arquivos perícia – Gate/SP.

Tipos de artefatos: Os Artefatos abandonados na via pública foram construídos de maneira semelhante, empregando-se tubo metálico, no formato retangular, contendo em seus interiores carga Explosiva a base de Alto Explosivo (Emulsão Explosiva), com uma das extremidades vedada com placa metálica através de solda e a outra extremidade contendo 02 (dois) parafusos roscados para fixação de uma chapa/tampa metálica fixada através de 02 (duas) “porcas tipo borboleta”, contendo um orifício central por onde foi inserido na massa explosiva, segmento de Cordel Detonante e dispositivo de iniciação Detonador Padrão nº 08 conectado no segmento de Estopim de Segurança e fixado ao segmento de Cordel Detonante.

Ocorrência (Telemaco Borba/PR, 21 jan 2020)

 

Policiais Militares da PMPR, entraram em confronto contra os indivíduos suspeitos durante a ação criminosa, sendo que dois Policiais Militares, acabaram sendo feridos por disparos de arma de fogo, posteriormente o Soldado Rafael acabou falecendo. Os suspeitos acessaram a referida agência com uso de material explosivo, deixando o interior desta colapsada.

Fontes: informações cedidas pelo EAB PMPR

Tipos de artefatos: foram apreendidas cargas de “Metalon”, onde em seu interior continha emulsão explosiva, e um segmento de Cordel detonante NP-10, 30 (trinta)cartuchos de emulsão explosiva de 2” X 24” polegadas e 02 (duas) cargas prontas para detonação, ambas com ímãs para serem fixadas em alguma superfície metálica, composta por 02 (dois) cartuchos de emulsão explosiva 2” X 24” entrelaçados por um segmento de cordel detonante NP-10, envoltos por fita isolante na cor preta, e escorvado por um detonador padrão nº 08 com estopim.

Ocorrência (Criciúma/SC, 01 dez 2020)

 

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) foi acionado para atendimento de ocorrência envolvendo artefatos explosivos decorrentes de assalto e explosão de Agência Bancária do Banco do Brasil localizada no centro da cidade de Criciúma/SC.

Fontes: informações cedidas pelo EAB PMSC

Tipos de artefatos: 43 (quarenta e três) unidades de Metalon, contendo emulsão confinada e provida de aproximadamente 50 (cinquenta) metros de cordel NP-5 dividido em vários segmentos, 60 (sessenta) espoletopins de 10cm, 11 (onze) espoletas nº 08, 02 (dois) pacotes contendo pólvora negra, 03 (três) dispositivos do tipo receptores eletrônicos utilizados para o acionamento remoto e 4 (quatro) telefones celulares da marca Positivo, que também serviriam de receptor eletrônico para o acionamento remoto dos artefatos explosivos encontrados além de fitas isolantes para a fixação/escorvas das cargas de explosivos.

CONCLUSÃO

 

Bombas de metalon têm sido frequentemente utilizadas em crimes de do tipo domínio de cidades e novo cangaço, tanto pela facilidade na construção como pelos resultados esperados. Logo, o trabalho do técnico em explosivos não se resume somente a desativação ou destruição do artefato, mas também na análise técnica, onde a busca por assinaturas de bomba, coleta de impressões digitais, amostragem de resíduos e registros fotográficos, são imprescindíveis para a produção de provas. Diante disso, cabe a esses especialistas a busca incessante e ininterrupta por conhecimentos sobre tema, além do compartilhamento de informações entre todas as unidades antibombas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE

SÃO PAULO. Instrução provisória PM1 (IP1-PM), 2017.

THURMAN, J. T. Practical Bomb Scene Investigation. 2ª. ed. Boca Raton: CRC Press, 2017.

TUBONASA.    O    que    é    metalon?    TUBONASA,    2022.    Disponivel    em:

<https://tubonasa.com.br/noticias/o-que-e- metalon#:~:text=As%20aplica%C3%A7%C3%B5es%20mais%20comuns%20par a,Corrim%C3%A3os%20e%20escadas>. Acesso em: 23 junho 2022

WIKIPEDIA. PIPEBOMB.                                                                                Disponível

em: <https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Trip-wire_pipe_bomb.jpg.>. Acesso em: 27 jun 2022.

METALON.     Disponível    em:     <https://www.aparecidatubos.com.br/blog/tubo- metalon/>. Acesso em: 27 jun 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *